Pesquisar este blog

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Um comentário:

Rúbia disse...

Um espectro logo abaixo das raízes segura um ponto imaginário.

-Uma menina como você permanece aí... (ele diz com temperamento obscuro.

Ele jamais pronuncia um nome entre as propriedades de seus devaneios. Ele amava algo, mas não sabia nem sequer se existia o Amor. Contudo, ele amava e isso bastava em seu escalar rumo ao Desconhecido.

-Você que sonha, nunca corre em demasia, o suficiente - quero dizer. Fica aí logo abaixo... (ele dizia de modo obscuro).