Pesquisar este blog

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

meu homem



















é todo pés
onde deixo
meus beijos

é todo dobras
onde sou água
fluida e generosa

é todo sorriso
e faz abrir minha ala
meu carnaval

é todo braços
onde me curo
do mundo.



performer: Fabiano Barros

Um comentário:

Analuka disse...

Cá estou, visitando o espaço Tangerina... Por enquanto, digo apenas que, tanto as fotos quanto os poemas, são bastante densos, dramáticos, às vezes beirando ao patético... Há momentos de oásis e suavidade, sim: alguns instantes para respirar! Mas, quase o tempo todo, algo de uma ânsia selvagem de viver, que se tenta traduzir em letras e imagens, criando, às vezes, felizes combinações, às vezes algo como um grito ou gemido desafinado. Parece-me que refletem bastante a angústia contemporânea, onde os sujeitos narcísicos, no fundo, continuam desejando algo mais, ou seja, aquilo que os poderia conduzir para além de si: o encontro amoroso com o outro...