Pesquisar este blog

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

o guardião da aurora




























ele está ali
onde não emenda seu descanso
e não há saída, trilha
nem sequer caminho

ele está ali
onde aquelas cores encontram
horizonte e olhos
nem há nada além de silêncio

vejo o homem opúsculo
o que é folha branca
o que não tem pena de si

vejo o guardião da aurora
o que se livra de tudo
o que não chora nem ri.



performer: Fabiano Barros

3 comentários:

Cesar Veneziani disse...

Só mesmo uma alma tão elevada pode colocar em versos sentimentos tão lindos e imagens tão densas...

Larissa Marques disse...

querido,
palavras não são só palavras e sabemos disso!
pensava no seu guardião das auroras!
beijos muitos!

Sindri disse...

Larissa se eleva a cada palavra gasta...