Pesquisar este blog

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

rei menino



























seus olhos são bagos inertes
que encolhidos buscam o fundo
esbugalham-se para germinar
rasgam as retinas e brotam
fazem-se raiz e caule
flores e frutos

seus olhos são sementes tristes
que mal se aquecem sob a terra
esse corpo franzino e fala fraca
causam-me comoção e quase reclamam
o trono que já era seu
antes mesmo que nascesse.

4 comentários:

Larissa Marques disse...

Sindri,
esse poema eu fiz pra você!

Sindri disse...

Gosto da forma delicada como me afaga a alma.... Amo-te!

L. Rafael Nolli disse...

Larissa, lindo poema. Tem uma ternura tocante - a fotografia o ilustra muito bem. É sugestivo, me pôs a imaginar a vida desse menino, dono de olhos tristes, como bagos inertes, sementes tristes!
Abraços!

Larissa Marques disse...

Nolli,
é um menino triste que vejo sempre em olhos adultos, é um ser onírico que se propõe a sofrer sem reclamar e se doa!

obrigada por comentar!