Pesquisar este blog

quinta-feira, 16 de junho de 2011

falsa elegia




que nos pulmões gastos
te respire em desassossego
que te chore como um cão
e engula seco como um segredo

que eu te leve em plumas
sobre meus precipícios
que eu te carregue em sombras
nas costas nuas de edifícios

e que nas suas linhas tortas
te desalinhe por inteiro
e te escarre sozinho
na estrutura dura de meu medo

Um comentário:

Analuka disse...

Um encanto tua nova série de fotos, menino do bosque!!! Como disse nossa amiga feiticeira, ainda irás muito, muito longe, com esta tua sensibilidade... Beijos alados levados pelos ventos do sul, querido.