Pesquisar este blog

quinta-feira, 16 de junho de 2011

porque me tomas



de maneira tão prolixa
com essa força na estrutura?

como se fosses dura
e ao mesmo te dobras
em meu cerne venal?

explícita revelas o riso
como quem quer morder
e doas a rachadura

como quem perpetra o caos
ilícita te entregas em becos
nada nobres e de beleza surreal!



(performance de Tatiana Videla)

3 comentários:

L. Rafael Nolli disse...

Um achado essa imagem. Causa uma estranha ligação com o poema. Show!

Larissa Marques disse...

fiz o poema para a imagem, Nolli! beijo!

Analuka disse...

A série de fotos em tom sépia está encantadora!!! E a ressonância entre imagens e poemas, deliciosa, densa, delicada. Belo trabalho, Sindri e Larissa! Muito bom passear por este espaço poético criativo e sempre pulsante. Beijos pintados!!!