Pesquisar este blog

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Vento






















Vento que leva
Minhas palavras
Que apaga minha voz.
Vento que afaga pensamentos
Que leva o outono,
Que traz o inferno.
Vento que faz dançar a chama,
Que chama,
Que sopra a vela,
A vela da vida.
Vento que é sopro sutil,
Sopro da vida, gênese.
Sopro na vela
Vento nas pedras
Som das ondas...
Vento que leva as palavras,
Sopro de vozes.
Som carregado pelo vento
Vento que leva pensamentos
Num sopro ao relento
O sopro e o tormento.
Sopro que apaga a chama
Vento que atiça o fogo
Som da vida
Grito
De morte.
Sopro na vela da vida
Vento na face da morte.

2 comentários:

Anna Labrysmoom (Clea imagina) disse...

Vento.

Palabras que lleva el aire al otro lado del mundo.

Un abrazo

Analuka disse...

Vento e sôpro vital, sempre presentes, no inverno ou no verão, no ciclo infindo e aterrador, encantador, da vida-morte-vida... Vento que origina a voz, o som, a melodia, sôpro da palavra e da poesia. Grito de morte, de vida, de amor. Sussurro, vento que afaga sonhos e sutilezas, ares e asas, almas e esperanças insistentes...

Abraço alado, ao vento!